Uma nova lei sobre ar condicionado

A TV Gazeta noticiou a aprovação da lei 13.589/2018 que fala sobre a obrigação de edifícios públicos e privados possuírem um Plano de Manutenção, Operação e Controle de Ar Condicionado. Leonardo Cozac, engenheiro especialista em QAI e diretor da Conforlab falou sobre a importância de manter um ambiente climatizado dentro dos níveis recomendados.

Leia mais

Lei que obriga a manutenção de sistemas de ar condicionado – Fala Brasil

O Fala Brasil, da Rede Record, de hoje (12/01/18) veiculou uma reportagem sobre a nova lei 13.589/2018 que diz respeito aos planos de PMOC em ambientes climatizados. A Conforlab e a LimpDutos, empresas referência no setor, contribuíram com a matéria realizando medições de temperatura, umidade e níveis de CO2 nos vagões do metrô de São Paulo. Assista ao vídeo.

Leia mais

Delta Cross Band – Legionnaires Disease

“Legionnaire’s Disease” foi lançada como o lado B do single “Back On The Road Again”, da banda “Delta Cross Band”.

 

 

Legionnaire’s Disease
(Words and Music by Bob Dylan) 1981 Special Rider Music

Some say it was radiation, some say there was acid on the microphone,
Some say a combination that turned their hearts to stone,
But whatever it was, it drove them to their knees.
Oh, Legionnaire’s disease.

I wish I had a dollar for everyone that died within that year,
Got ’em hot by the collar, plenty an old maid shed a tear,
Now within my heart, it sure put on a squeeze.
Oh, that Legionnaire’s disease.

Granddad fought in a revolutionary war, father in the War of 1812,
Uncle fought in Vietnam and then he fought a war all by himself,
But whatever it was, it came out of the trees.
Oh, that Legionnaire’s disease.

 

Doença do Legionário – tradução

(Letra e música por Bob Dylan) 1981 Special Rider Music
Alguns dizem que era radiação, alguns dizem que havia ácido no microfone,
Alguns dizem que uma combinação que transformou seus corações em pedra,
Mas, seja lá o que for, ele os levou de joelhos.
Oh, doença do Legionário.

Eu queria ter um dólar para todos que morreram nesse ano,
Pegou-os com o colarinho, muito uma velha empregada derramou uma lágrima,
Agora, dentro do meu coração, com certeza, coloque um aperto.
Ah, a doença do Legionário.

O avô lutou em uma guerra revolucionária, pai na Guerra de 1812,
Tio lutou no Vietnã e então ele lutou uma guerra sozinho,
Mas, fosse o que fosse, saiu das árvores.
Ah, a doença do Legionário.

Leia mais

Estudo confirma a presença de radônio em imóveis da grande São Paulo

Untitled-1

Um estudo inédito realizado pela Conforlab em imóveis localizados na região metropolitana da cidade de São Paulo confirmou a presença de radônio acima dos limites de recomendação da USEPA.

O radônio é gás invisível, insipido e inodoro originário pelo decaimento radioativo do urânio e tório, dois dos elementos radioativos mais abundantes na crosta terrestre.  Ao contrário do que se pensa, átomos de urânio e tório podem estar presentes em todo o tipo de material geológico. Isso significa que toda fração de terra, areia, brita, calcário, mármore, granito, etc. contém alguma fração destes elementos radioativos. A quantidade destes elementos em cada material é única e depende de diversos fatores geológicos, ambientais e até mesmo tecnológicos.

Algumas características fazem do radônio um problema de saúde pública em todo o mundo. Ele é um gás radioativo, de origem natural, abundante em toda crosta terrestre e suas características químicas fazem dele um gás nobre, isto é, o radônio é um elemento que não reage com nenhum material sob condições normais de temperatura e pressão. Esta característica faz do radônio um gás invisível a todos os mecanismos e equipamentos utilizados em sistemas de tratamento do ar. Faz dele invisível para nosso sistema imunológico. Não há maneira de filtrar, precipitar, capturar ou destruir o radônio. A única maneira de combater este inimigo em ambientes confinados se dá por ações de prevenção, as quais não serão abordadas neste artigo.

O radônio presente em um ambiente confinado tem sua procedência atribuída a três principais vias de emanação: o solo (sobre o qual o imóvel foi construído), a água (advinda de aquíferos profundos ou até mesmo poços rasos) e os materiais utilizados na construção e decoração (areia, cimento, cerâmica, pedras ornamentais, esculturas, arquivos de decoração, etc.). Destes três, o solo é o fator de maior contribuição.

Ao ocorrer um decaimento radioativo, um átomo de 226-rádio se transforma em um átomo de 222-radônio. O radônio formado se desloca para a superfície terrestre por meio fenômenos de difusão. Ao chegar a superfície ele se dispersa naturalmente não oferecendo riscos à saúde. Contudo, ao encontrar um ambiente confinado (um imóvel) o radônio é pré-concentrado tornando-se um contaminante letal.

De acordo com Robson Petroni, químico da Conforlab “o grande problema relacionado ao radônio é o fato de que ele é um gás inerte, imperceptível ao nosso sistema imunológico e emissor de uma radiação alfa altamente energética. A radiação alfa é utilizada para fins terapêuticos na destruição de células tumorais. Contudo, a mesma radiação que destrói um tumor, destrói uma célula sadia ou causa disfunção da mesma. Ao causar uma disfunção em uma célula, pode haver a incidência de um tumor. ”

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) o radônio é o segundo maior causador de câncer de pulmão em seres humanos, perdendo somente para o hábito do tabagismo. Estudo realizado na região de Galícia, na Espanha obteve uma forte correlação para a incidência de câncer de cérebro com uma maior concentração de radônio no ambiente. Pesquisadores da Suíça correlacionaram a concentração de radônio com o aumento de casos de tumor maligno de pele.

No Brasil, pesquisadores da UFRN correlacionaram a concentração de radônio com o aumento de casos de aborto espontâneo para indivíduos residentes da cidade de Lages Pintadas (RN). Além disso, diversos estudos têm sido realizados para a investigação da correlação de radônio com o número de casos de câncer de estômago e até mesmo com mutações genéticas observadas em insetos.

De acordo com estimativas da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (United States Environmental Protection Agency), a US EPA, o radônio é responsável por cerca de 21 mil mortes anuais somente nos Estados Unidos. Pesquisas realizadas na União Europeia apontam o radônio como responsável por cerca de 20 mil mortes anuais. Dados oficiais da Statistics Canada atribuem ao radônio cerca de 3200 mortes todos os anos. O Brasil não divulga dados oficiais referentes ao número de mortes atribuídas ao radônio. Isto se deve à falta de dados relacionados a concentração deste elemento em todos os municípios federativos e a dificuldade de padronização de uma metodologia analítica.

Estudo recente e inédito realizado pela Conforlab em imóveis localizados na região metropolitana da cidade de São Paulo apontam que de 70 ambientes analisados, cerca de 11% apresentaram concentração de radônio acima dos limites recomendados pela US EPA (4 pCi/L). Neste mesmo estudo, a concentração média de radônio para os ambientes estudados foi 2,6 ± 1,1 pCi/L (onde a incerteza corresponde a 1 desvio padrão para um intervalo de confiança de aproximadamente 68 %).

Ao contrário do que muitos pensam existe radônio no Brasil (e em todos os lugares). Assim como temos o CO, o SO2, também temos o radônio. A dúvida devemos levantar não é se há radônio em ambientes confinados, mas sim o quanto há de radônio em ambientes confinados. Uma curiosidade que observamos neste estudo foi de que a concentração de radônio pode variar em diferentes ambientes dentro de um mesmo imóvel. Esta variação pode estar associada com a frequência de uso do ambiente e principalmente com as condições de conservação do mesmo. Ambientes que apresentam ralos, rachaduras ou problemas de impermeabilização parecem ser mais susceptíveis ao acúmulo de radônio. Em função disso concluímos que não existe outra maneira de saber-se qual a real concentração de radônio em um ambiente sem que se faça a análise de radônio para aquele respectivo ambiente. Um ambiente pode apresentar resultados conformes e outro ao lado apresentar elevadas concentrações deste inimigo invisível (radônio) ”. (Robson Petroni – Químico da Conforlab)

A Conforlab é especialista na análise e monitoramento de radônio no Brasil, prestando serviços há mais de 20 anos em assuntos relacionados a análises ambientais. Possui laboratórios acreditados na norma NBR ISO/IEC 17025 e foi a primeira empresa nacional certificada pelo programa ELITE para análises de Legionella sp.

Para o sócio diretor da Conforlab, Eng. Leonardo Cozac “nossa empresa sempre busca inovações em assuntos de qualidade do ar interno. Foi assim, com pesquisa e análise da bactéria Legionella sendo o 1º laboratório no hemisfério sul certificado pelo CDC/EUA no programa ELITE. E agora, a Conforlab traz ao país a tecnologia de análise de Radônio, tendo, contudo, a preocupação ética de conduzir uma pesquisa em verificar se realmente esse gás está presente nas casas, residências e demais ambientes no país. ”

Leia mais

Conforlab: sua parceira em análise e tratamento ambientais

Nosso meio ambiente é repleto de perigos invisíveis aos seres humanos. Germes, bactérias, vírus e outros agentes nocivos estão presentes na água, no ar e nas superfícies e possuem alto potencial para ocasionar problemas de saúde.

 

 

Para combater esses problemas surge, em 1990, a Conforlab. Atuando no ramo de engenharia ambiental, a empresa sempre teve como objetivo prestar o melhor atendimento a seus clientes entregando resultados de excelência.

 

 

27 anos fazendo história

Alcançar a excelência na prestação de serviços não é uma tarefa fácil. Especialmente em um setor que mexe com aquilo que há de mais importante: a saúde das pessoas.

 

Analisamos e tratamos fatores ambientais em busca de fornecer um ambiente seguro e livre de riscos a saúde. Embora nosso trabalho seja realizado em boa parte em laboratórios, nosso foco são as pessoas, que se beneficiam do mesmo para alcançar maior bem-estar e qualidade de vida.

 

Investindo pesado em tecnologia e na capacitação dos profissionais, a Conforlab que iniciou suas atividades realizando serviços de tratamento de água de sistemas de ar condicionado, hoje possui uma linha completa de soluções ambientais e conquistou diferentes certificações que atestam sua qualidade.

 

Entre as certificações a concedida pelo CDC nos EUA como referência na pesquisa da bactéria Legionella, é um dos maiores motivos de orgulho para a empresa sendo o primeiro laboratório do hemisfério sul a receber esse certificado.

 

A Legionella presente em sistemas de água e em terras úmidas é uma bactéria capaz de ocasionar graves doenças respiratórias, como pneumonia e a Doença dos Legionários.

 

As técnicas e métodos empregados pela Conforlab garantem uma identificação e redução assertiva no risco à saúde em edificações prediais como o sistema de água.

 

Além da análise e tratamento de água, também realizamos a Análise da Qualidade do Ar Interno, segundo padrões e parâmetros da ANVISA. Hoje é comum que muitos edifícios e escritórios contem com ambientes climatizados procurando fornecer o melhor índice de conforto térmico para seus ocupantes.

 

Nesses ambientes, contudo, nem sempre a circulação e renovação do ar é adequada. Como consequência os ocupantes desenvolvem doenças respiratórias como rinites, sinusites, alergias e em casos mais graves pneumonias.

 

Quando os locais de trabalho realizam uma Análise da Qualidade do Ar Interno, permite tomar medidas corretivas para fornecer um ambiente saudável aos colaboradores, aprimorando a qualidade de vida do trabalho e reduzindo os índices de absenteísmo.

 

E para edifícios e empresas que necessitam de uma análise completa, a Conforlab também possui a solução ideal. Na Análise de Ambientes Internos observamos o local como um todo, fornecendo um raio-X completo da situação.

Com os dados em mãos é possível reconhecer a real situação ambiental e tomar medidas corretivas pautadas em dados concretos, indo na raiz do problema, economizando tempo e recursos.

 

Recentemente fizemos mais uma adição ao nosso portfólio de produtos: Consultoria em Mofo.

 

A proliferação dos fungos ocorre principalmente pelo excesso de umidade em um ambiente e além de apresentar riscos à saúde respiratória, possui potencial para danificar estruturas, móveis, arquivos, etc.

 

Sempre de olho na inovação e identificando a demanda pelo serviço no mercado, utilizamos nossos laboratórios e amplo conhecimento e expertise em análises ambientais para fornecer mais uma opção de altíssima qualidade a nossos clientes.

 

Atendimento diferenciado, laboratórios equipados com o que há de melhor e mais atual no mercado, profissionais técnicos capacitados e em constante atualização são diferenciais e marcas da Conforlab.

Leia mais

A Conforlab agora possui um novo serviço: Consultoria em Mofo

mofo

Desde sua fundação, no ano de 1990, a Conforlab presta serviços que contribuem para uma melhor qualidade dos ambientes internos, promovendo saúde e bem estar através de soluções como a Análise de Agua, Avaliação de Ambientes Internos e Análise da Qualidade do Ar. Temos orgulho em anunciar que a partir desse ano passamos a contar com mais um serviço para os nossos clientes, com a mesma qualidade que nos trouxe até aqui: Consultoria em Mofo.

 

Temos orgulho em anunciar que a partir desse ano passamos a contar com mais um serviço para os nossos clientes, com a mesma qualidade que nos trouxe até aqui: Consultoria em Mofo.

 

O surgimento de mofo em ambientes geralmente está associado ao excesso de umidade no ambiente, e mais do que o odor e aspectos desagradáveis, esse tipo de problema pode ser o responsável pelo surgimento de doenças e complicações graves associados às vias respiratórias.

 

Além dos riscos a saúde daqueles que ficam expostos por um período prolongado ao mofo, o fungo ainda pode prejudicar a estrutura de imóveis, estragar móveis e objetos diversos, trazendo assim prejuízos em diferentes frentes.

 

Não deixe que o ambiente interno de sua empresa e estabelecimento coloque em risco a saúde de seus colaboradores e clientes.

 

Contate a Conforlab e conheça mais sobre o nosso serviço de Consultoria em Mofo e demais soluções.

Leia mais

Como está a saúde do ambiente da sua empresa?

O trabalho muitas vezes se confunde com a própria atividade humana e ao longo da história essa relação foi se universalizando ao ponto de que atualmente a maior parte do tempo que passamos acordados em nossos dias é dedicado a atividade laboral.

Por conta disso é inevitável que o tempo que uma pessoa passa trabalhando  afete suas condições psicofisiológicas, o que pode ocorrer pelos mais diversos fatores, como as condições ergonômicas e do meio ambiente interno, por exemplo.

 

Por que cuidar do meio ambiente interno de sua empresa?

Hoje encontramos um mercado altamente competitivo nos mais diferentes segmentos o que faz com que o uso dos recursos disponíveis em todos os aspectos (financeiro, maquinário e humano) seja feito de forma racional, sempre em vista a otimização e redução de custos.

Nesse sentido é preciso compreender que o absenteísmo, ou seja, o afastamento temporário de funcionários do seu posto de trabalho devido a ocorrências de saúde possui um alto poder de causar prejuízos, e o combate ao mesmo é um dos grandes desafios das empresas brasileiras.

Imagine que sua empresa tenha um departamento com 10 colaboradores. Em uma determinada semana, 4 deles não comparecem ao serviço devido a crises de sinusite, por exemplo. O serviço deles terá que ser feito por outros, o que atrapalha a produtividade e pior: a sobrecarga das atividades pode fazer com que outros fiquem doentes em um ciclo contínuo.

O exemplo acima, embora hipotético, ilustra como essa questão pode ser prejudicial às empresas, mostrando que a preocupação com a saúde do trabalho é benéfica a todos os envolvidos. Boas condições de saúde significam melhor qualidade de vida no trabalho, tornando os colaboradores mais motivados, engajados e logo, mais produtivos.

Para isso contar e fornecer aos seus colaboradores um ambiente que respeite os níveis de salubridade e esteja livre do contágio de vírus, bactérias, fungos e outras substâncias agressivas aos seres humanos, seja no ar ou na água, é fundamental.

 

Como conhecer o real estado do meio ambiente de sua empresa?

Os perigos encontrados no meio ambiente são, na maioria das vezes, invisíveis aos nossos olhos. Dessa forma embora um alto número de colaboradores atingidos por doenças possa funcionar como um sinal claro de que algo está errado, apenas uma análise minuciosa realizada por técnicos em laboratórios irá confirmar o real estado do mesmo.

A Conforlab conta com ampla expertise na análise de fatores ambientais e possui laboratório moderno e bem equipado, junto com uma equipe técnica capacitada e constantemente atualizada para prestar serviços de excelência.

O conjunto de soluções como Análise e Tratamento de Água, Análise da Qualidade do Ar Interno e Avaliação de Ambientes Internos, permite que as empresas possuam um quadro realista sobre as condições de seu meio ambiente interno que permitem a adoção de medidas corretivas assertivas.

Os investimentos em ações que promovam a saúde do trabalho são uns dos melhores a serem realizados pelas empresas ao longo prazo, permitindo conquistar resultados mais sólidos através de um corpo de funcionários motivados, engajados, produtivos e claro, saudáveis.

Conheça mais das soluções da Conforlab. Nossos consultores estão preparados para lhe atender e tirar todas as suas dúvidas.

 

Leia mais