Avaliação de Ambientes

A Conforlab oferece uma avaliação técnica, executada por especialista certificado CIEC* na ACAC – American Council for Accredited Certification, das condições do seu ambiente, através de:

• Coleta de informações;
• Questionários epidemiológicos;
• Medições iniciais e inspeção visual das condições físicas;
• Análises ambientais complementares;
• Emissão de relatório técnico completo com um Raio-X de seu ambiente interno;
• Termografia das superfícies;
• Análises de superfícies, método RODAC ou SWAB;
Inspeção de Mofo – clique e conheça;

P.S.Q.A.I. (Plano de Segurança da Qualidade do Ar Interno)

A Conforlab, pioneira no tema Qualidade do Ar de Interior, desenvolveu o programa do Plano de Segurança da Qualidade do Ar Interno, uma consultoria que visa proporcionar aos nossos CLIENTES um total conhecimento de todos sistemas internos (refrigeração, mobiliário, pessoas, etc..), avaliação de risco (físico, químico e microbiológico), ações requeridas para minimizar os riscos, acompanhamento e monitoramento (on-line e presencial) para que o ambiente esteja em consonância com a Saúde e Bem-Estar dos usuários (Clientes, Colaboradores e Visitantes).

Saiba mais sobre o P.S.Q.A.I.

Por que escolher a Conforlab para Avaliação de Ambientes?

Acreditamos que um ambiente de qualidade deve promover saúde e bem-estar para todos os ocupantes. Dentro de uma organização, isso significa aumentar a produtividade dos colaboradores, reduzindo o absenteísmo e custas médicas. Além de impactar diretamente na saúde e trazer um retorno sobre investimento positivo.

Com a Avaliação de Ambientes da Conforlab você terá um raio x completo sob os aspectos ambientais de seu edifício, permitindo tomar medidas assertivas para oferecer um meio ambiente de qualidade para seus clientes e funcionários.

Perguntas frequentes

Como devo proceder se o resultado de fungos (Norma Técnica 001) apresentar valor acima dos limites definidos pela RE/ANVISA nº 9/2003?

Recomendamos proceder conforme especificado abaixo:

·       Procurar pontos de infiltração de água em paredes, pisos ou teto da edificação;

·       Evitar acúmulo de papel no ambiente interno;

·       Evitar vasos de plantas com terra no ambiente interno;

·       Manter a filtragem do ar de acordo com ABNT NBR-16401-3:2008 na captação de ar externo e nos condicionadores de ar;

·       Não utilizar vassouras, escovas ou espanadores para higienizar as superfícies fixas e móveis;

·       Evitar utilizar isolamento termoacústico que possa liberar fibras minerais, orgânicas ou sintéticas no ambiente interno;

·       Durante obras ou reformas, cuidar para o que material particulado gerado não entre no ambiente interno;

·       Materiais porosos, como carpetes e cortinas, devem ser limpos periodicamente e com processos adequados que impeçam a dispersão de poluentes;

·       Utilizar tecnologias comprovadamente eficazes de filtragem ou tratamento do ar complementares ao sistema de climatização, tais como ionização ou fotocatálise.

Resultado abaixo de 400 UFC/m³ na concentração de fungos em ambiente externo é considerado normal? E valor acima de 2000 UFC/m³?

Condições climáticas do ambiente externo podem influenciar a concentração de microrganismo tanto para a ampliação como para a redução e, consequentemente, também podem influenciar o ambiente interno.

Caso a umidade relativa do ar (%) estiver baixa no momento da amostragem pode contribuir para a diminuição da concentração de fungos no ar.

Verificamos casos de altos valores de fungos em ambiente externo (acima de 2000 UFC/m³) em dias com ventos fortes. O material particulado que está em repouso é movimentado causando aumento da concentração fúngica.

Os fungos encontrados no ar são patogênicos ou toxigênicos?

Os fungos ambientais, ditos “anemófilos” geralmente para indivíduos saudáveis são inofensivos, ocasionalmente podem tornar-se patogênicos, causando infecções micóticas locais ou sistêmicas. Esses fungos são chamados “oportunistas”, pois aproveitam-se da baixa do sistema imunológico de indivíduos debilitados.

Quantos litros de ar são aspirados durante a retirada de uma amostra?

Durante a retirada de uma amostra são aspirados 28,3 L/min, em um total de 141,5 L/amostra.

Como devo proceder se o resultado de Dióxido de Carbono (Norma Técnica 002) apresentar valor acima do limite definidos pela RE/ANVISA nº 9/2003? Isso pode fazer mal à saúde dos ocupantes do ambiente?

O objetivo da medição de Dióxido de Carbono (CO2) é verificar a renovação de ar dentro do ambiente. Portanto, se o valor medido estiver acima do limite definido pela ANVISA, deve ser aumentada a renovação de ar externo, componente do sistema de climatização. Essa ação deve ser feita pelo responsável técnico do sistema de ar condicionado para que não haja prejuízo a climatização do ambiente.

O valor de CO2 acima de 1.000ppm não significa que ele irá fazer mal a saúde dos ocupantes. Ele serve como indicador. O objetivo não é apenas reduzir o valor de CO2 e sim melhorar a renovação de ar. Ocorrendo a renovação do ar eficientemente, outros poluentes internos que não estamos medindo, gases por exemplo, também serão reduzidos. O nível de CO2 no ar externo varia na faixa dos 400ppm.

Como devo proceder se o resultado de medição de Aerodispersóides (Norma Técnica 004) apresentar valor acima do limite definido pela RE/ANVISA nº 9/2003?

Recomendamos proceder conforme especificado abaixo:

·       Manter a filtragem do ar de acordo com ABNT NBR-16401-3:2008 na captação de ar externo e nos condicionadores de ar;

·       Não utilizar vassouras, escovas ou espanadores para higienizar as superfícies fixas e móveis;

·       Evitar utilizar isolamento termoacústico que possa liberar fibras minerais, orgânicas ou sintéticas no ambiente interno;

·       Durante obras ou reformas, cuidar para o que material particulado gerado não entre no ambiente interno;

·       Materiais porosos, como carpetes e cortinas, devem ser limpos periodicamente e com processos adequados que impeçam a dispersão de poluentes;

·       Utilizar tecnologias comprovadamente eficazes de filtragem ou tratamento do ar complementares ao sistema de climatização, tais como ionização ou fotocatálise.

Porque amostras realizadas em dias distintos podem dar resultados diferentes?

Cada amostragem é única, e não dá para comparar um resultado realizado em dias e horários diferentes. Em microbiologia isso é perfeitamente normal, estamos lidando com algo biológico, não é uma ciência exata, isso acontece porque justamente é amostral. Os resultados estão intimamente relacionados há fatores abióticos, que no caso de amostras de ar vai influenciar em uma alta/ou baixa concentração de microrganismos dispersos no ar naquele exato momento da amostragem. O importante é que o sistema de climatização funcione como barreira para que em dias críticos isso não afete a qualidade interna dos ambientes.

O que são Fungos não esporulados?

São fungos que não apresentam estruturas reprodutivas passiveis de identificação.